Secretaria de Saúde alerta para prevenção contra roedores

A Secretaria Municipal de Saúde chama a atenção para as formas de prevenir a proliferação de roedores nas residências. Eles são responsáveis por transmitir a leptospirose. A doença é mais comum em períodos chuvosos, mas o acúmulo de lixo, exposição de restos de alimentos e entulhos são ‘atrativos’ para o surgimento de ratos e outros bichos rasteiros em qualquer época do ano.

No ano passado, o Cabo de Santo Agostinho notificou 26 casos, dos quais seis foram confirmados, e registrou um óbito. A gerente de Vigilância em Saúde, Maria Eugênia Gama, orienta que para se ver livre de pragas, deve-se manter os resíduos ensacados, as áreas externas sempre limpas e não acumular entulhos. “Além dos ratos, a falta de alguns cuidados propicia o surgimento de outras pragas”, ressalta.

A Prefeitura do Cabo realiza ações de prevenção nas áreas em que são registradas as notificações de casos. Também iniciou neste mês de janeiro, um mutirão para recolhimentos de entulhos em vários bairros da cidade.

O contágio da leptospirose se dá pelo contato com a urina do rato ou pela exposição à água contaminada. Febre alta, mal-estar, dor muscular na panturrilha, calafrios, diarreia, náuseas, vômitos, dor de cabeça e icterícia são alguns dos sintomas. Mas a doença pode ser assintomática (não apresentar sintomas).

Outras ações são importantes no combate à infestação de ratos: manter limpo e desmatado os terrenos baldios e margens de canais; fechar fendas e buracos em telhas, paredes e rodapés; conservar caixas de água, ralos e vasos sanitários bem fechados e lavar todas as noites os vasilhames de alimentos dos cães.

Havendo suspeitas de contágio da doença, a pessoa deve procurar uma das Unidades de Saúde da Família (USF).

Ouça a matéria

Texto: Ana Cristina Lima – Secom/Cabo
Áudio: Tonny Silva
 

2018-01-11T11:33:34+00:00