Teste da orelhinha avalia saúde auditiva dos bebês na maternidade do Cabo

Para garantir a saúde auditiva do recém-nascido, toda maternidade pública deve oferecer, gratuitamente, o teste da orelhinha. O exame detecta se o bebê possui alguma deficiência. “Quanto mais cedo for identificado o problema, mais eficaz será o tratamento”, diz a fonoaudióloga da Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos, em Ponte dos Carvalhos, Karla Costa.

 O novo equipamento de audição otoacústica  adquirido pela Secretaria Municipal de Saúde tem auxiliado as mães no acompanhamento da saúde dos bebês. “Com a compra deste aparelho estamos garantindo que este serviço essencial seja mantido e que nenhum recém-nascido saia da maternidade sem as avaliações necessárias”, destaca o diretor da Maternidade, Marco Moura.

O exame não machuca. Ele é feito já no segundo dia de vida da criança. Um fone acoplado a um aparelho é colocado no ouvido do bebê, emitindo um som de baixa frequência. O teste é feito nas duas orelhas e pode ser realizado com a criança dormindo.

A fonoaudióloga Karla Costa explica que se houver suspeita de deficiência, o bebê é encaminhado para o otorrinolaringologista para avaliação mais detalhada. “O teste da orelhinha deve ser realizado a partir do 2º ou 3º dia de vida. No caso de crianças que não fizeram o teste ainda na maternidade, a mãe deve fazer esta avaliação até os 3 meses”, recomenda a médica.

 A avaliação auditiva neonatal pode evitar a surdez, dificuldades na fala e outros problemas. Mães que não fizeram o teste em seus bebês, podem agendar o exame na maternidade. O teste da orelhinha é feito todas as terças e quintas-feiras.

 A Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos realiza cerca de 62 partos por mês. Além do teste da orelhinha, oferece os exames do pezinho, linguinha e olhinho.

ouça a matéria

 Ana Cristina Lima/ Secom

Áudio: Uanderson Melo

Foto: João Barbosa
2018-05-13T12:48:44+00:00