Prefeitura inicia primeiro curso de Motolância do Samu

A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho iniciou nesta segunda-feira (19/03) o primeiro curso de Motolância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do município. Direcionado ao Grupamento de Motociclista de Atendimento de Urgência (Gmau), o curso tem como objetivo habilitá-los perante o Ministério da Saúde para o trabalho com motos do Samu. Além de técnicos de enfermagem e condutores de viaturas do Cabo, participam como convidados profissionais dos Samus de Recife, Jaboatão, Ipojuca e Gravatá, além de integrantes do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco e do Exército Brasileiro.

Ministrado pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP) do Cabo, o curso também conta com a participação de instrutores da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam), que vai ministrar aulas de Manutenção Preventiva; do Exército, com a equipe de instrução que faz a escolta e segurança presidencial no Estado; e do Corpo de Bombeiros. De acordo com o coordenador do curso, Fábio Marinho, os profissionais vão aperfeiçoar conhecimentos em como melhor conduzir a moto de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), técnicas de pilotagem e Atendimento Pré Hospitalar (APH) avançado.

Nas técnicas de pilotagem, os motociclistas aprenderão práticas como frenagem de emergência e de como entrar em curvas. Já as aulas de APH são para que saibam fazer o primeiro atendimento em casos urgentes até a chegada da viatura e evitar traumas maiores até a remoção. Ações como passar um bom quadro do estado da vítima, identificar o tipo de trauma, avaliar o nível de consciência e saber estabilizar o paciente. O curso tem carga horária de 104 horas e segue até o fim do mês, com aulas práticas e teóricas, além do estágio operacional, da prova e da avaliação prática.

“Entre os benefícios da capacitação estão a agilidade no trânsito e a diminuição de custos, já que a motolância identifica a necessidade do paciente e informa qual o melhor tipo de viatura para a ocasião (UTI móvel, unidade básica ou helicóptero). Mas a principal filosofia é conscientizar as equipes de que é possível trabalhar em motocicleta com segurança. Para isso incentivamos a prudência, a realização de capacitações, a postura e a ética”, destacou Marinho, coordenador de Transportes do Samu Cabo.

Texto: Aline Vieira Costa – Secom
Fotos: Ivan Melo