[print_gllr id=36452]

O enfrentamento à violência no Cabo de Santo Agostinho foi pauta de mais um encontro entre poder público e sociedade civil organizada. Na noite dessa segunda-feira (01/06), cerca de 100 pessoas participaram de uma reunião no Restaurante A Chácara, na Vila Social, para discutir estratégias que proporcionem a diminuição da criminalidade no município. O ato foi organizado pelo Centro das Mulheres do Cabo (CMC) e entidades comerciais (CDL, ACEC e Sindilojas), e contou com a participação da Prefeitura.

Reunindo líderes comunitários, comerciantes, empresários, representantes do Legislativo municipal e estadual, além da Prefeitura Municipal, Polícias Militar e Civil e do Poder Judiciário, o encontro é fruto de uma mobilização que surgiu após a divulgação de que o Cabo apresenta elevado índice de vulnerabilidade da juventude à violência, de acordo com relatório lançado pela Unesco em maio. Na próxima segunda-feira (08/06), foi marcada uma caminhada pela paz, que pretende passar pelas principais vias do Centro do município mobilizando escolas e o comércio local. O horário será definido nesta quarta-feira (03), em uma reunião com o grupo de trabalho denominado “Cabo unido pela paz”.

A coordenadora do CMC, Nivete Azevedo, iniciou a reunião agradecendo a presença de todos e todas e destacando o significado do encontro. “Este é um momento simbólico, onde se encontram lideranças políticas, organizações sociais, movimentos de bairros, juventude, segmento comercial, para discutir formas de enfrentamento à violência no nosso município, e essa discussão é extremamente importante”, frisou Nivete. “Queremos discutir quais são os caminhos, estratégias, para combatermos à criminalidade que tem preocupado toda a sociedade cabense. Nesta luta não devemos ter nem cor, nem bandeira, nem partido. Teremos que ter, sim, compromisso com a sociedade”, acrescentou.

Representando o prefeito Vado da Farmácia, o secretário municipal de Governo, Luiz Pereira, parabenizou mais uma vez a iniciativa e frisou o compromisso do Poder Executivo nessa mobilização. “A prefeitura se coloca à disposição, como tem feito sempre. Muitos esforços têm sido feitos. Muitas iniciativas individuais também têm acontecido, mas agora é o momento de unir essas forças e buscar soluções. Em nome do prefeito Vado, digo que todas as ações para diminuir a violência contarão com o apoio da gestão”, declarou.

“Já estamos atuando há um tempo ouvindo as comunidades e realizando ações conjuntas com a Polícia Militar, mas agora estamos dando um passo maior, passando a tratar a questão da segurança numa perspectiva mais global, unindo vários segmentos”, afirmou o secretário municipal de Defesa Social, José Carlos Leandro.

“Nossa participação tem que ser efetiva. Andando pelas comunidades sinto o medo da população. Com união, podemos melhorar essa situação. Precisamos dar as mãos e ouvir a sociedade”, disse o diácono Genival Cunha, do Vicariato Cabo. Integrante do movimento S.O.S Gaibu, o estudante Gabriel Campos falou sobre a importância de colocar os jovens no centro dessas discussões. “O alvo principal tem que ser o jovem. Precisamos trabalhar melhor os esportes, a educação, lembrando sempre que oprimir não é a solução”, opinou ele.

Também estiveram presentes a vice-prefeita Edna Gomes; o secretário municipal de Educação, Adelson Moura; o secretário da Juventude e Esportes, César Paiva; e o superintendente de Articulação Política, Fernandes Moura.

Texto e fotos: Raíza Muniz – Secom/Cabo