Com clássicos e contemporâneos do São João, o Forró Ferruado abriu a 1ª Mostra de Quadrilhas Juninas,  já recebendo participantes e plateia com muita animação.  A Mostra trouxe espetáculos de quadrilhas juninas e muito forró para quem quisesse arrastar o pé na quadra da escola Antônio Benedito da Rocha, em Garapu.
O primeiro grupo a se apresentar foi a quadrilha Brilho de Ouro,  que contou a história de um casamento em que o padre se atrasa para a cerimônia. O encenação teve por título: Tem festa na noite de São João. Com seus movimentos sincronizados e a energia do mestre da quadrilha, o público vibrou a cada música do grupo.
Contando a história do amor proibido entre a filha do coronel e o filho do prefeito, a quadrilha Junina Bacamarte trouxe o espetáculo “Crepúsculo” para celebrar a festa junina. O público ficou atônito aos recursos visuais e e cenográficos trazidos para a apresentação.
“Todo esse movimento representa a cultura, a tradição. Os órgãos competentes que, graças a Deus, enxergam a calamidade cultural do nosso estado, dando a oportunidade de prestigiar o público com isso, pois eles gostam”, contou Marcílio Barreto, coreógrafo da Bacamarte.
Com uma pegada estilizada, a União Junina trouxe a história do “Formidável duelo entre Lampião e Lancelote”, onde conta a história de uma amor proibido no reino do Rei Arthur e que é acolhido pelo rei do cangaço e sua companheira Maria Bonita.
“A gente, como Secretaria de Cultura, entende que é uma forma de incentivo para que a  juventude participe, pois a quadrilha é dança, é cultura e tradição”, ressaltou o gestor de Cultura, Sérvulo Ferreira. “Essa gestão é pioneira nesse formato de mostra de quadrilha e estamos muito orgulhosos por isso”, completou Ferreira.
Texto: Sidney França
Fotos: Léo Domingos