A cada quatro crianças que nascem  no Cabo de Santo Agostinho, uma é filha de jovens com idade entre 10 e 19 anos.  O dado foi apresentado durante o Seminário “Infâncias Protegidas”, que visa combater a gravidez, violência e abuso sexual desde a infância até a adolescência. O Encontro aconteceu na manhã desta quinta-feira (08/08), no auditório Luiz Alves Lacerda e reuniu estudantes dos anos finais de oito escolas municipais para discutir os temas.

Os jovens também tiveram oportunidade de compor a mesa, debater e sugerir meios para o enfrentamento.  Para contemplar os objetivos do seminário de forma efetiva, a agenda foi dividida em quatro temáticas. A primeira delas, representada por uma aluna da rede estadual foi:  “O que as políticas públicas precisam para apoiar as meninas na gravidez não intencional”. “Temos que buscar meios para orientar as jovens a combater a gravidez na adolescência, tendo em vista, os obstáculos que isso causa na vida delas”, ressaltou Ana Regina Silva, 16 anos.

Outras temáticas comentadas pelos jovens foram: O papel do grêmio estudantil para garantir o direito à educação, violência cometidas contra as meninas com o recorte em raça e também, contra jovens negros do município. Após o momento de fala, os representantes da rede de proteção puderam interagir com os adolescentes para o debate sobre a efetivação das políticas públicas de proteção aos jovens.

O evento,  contou com a presença de  representantes da Secretaria de Saúde, Educação, do Centro das Mulheres do Cabo, Programas Sociais, além do Conselho da Criança e do adolescente.
Texto: Beatriz Lima
Fotos: João Barbosa